Make your own free website on Tripod.com
Displasia Coxo-Femoral

Prof. Renato Cesar Sacchetto Tôrres
Professor de Radiodiagnóstico
Escola de Veterinária - UFMG

A Displasia Coxo-Femoral (DCF) é uma alteração de natureza genética e multifatorial, onde vários gens estão envolvidos no processo, determinando modificações degenerativas das articulações coxo femoraes. Quanto maior o número de ascendentes displásicos, maior a chance dos filhotes desenvolverem esta patologia.
Outros fatores são também importantes como a super alimentação, alterações hormonais e biomecânicas e tantas outras que não nos compete detalhar agora.
Esta doença já foi diagnosticada em inúmeras raças caninas, porém ocorre com maior frequência nas de médio e grande portes, notadamente no pastor alemão, rottweiler e fila brasileiro, dentre outras.
Animais com Displasia Coxo-Femoral apresentam vários sintomas clínicos, podendo uns se destacarem mais que os outros ou mesmo variarem de intensidade. Pode-se observar desde uma claudicação intermitente discreta até uma total incapacidade locomotora. Existem animais que podem passar boa parte de suas vidas totalmente sem sintomas.
Para uma melhor interpretação da Displasia Coxo-Femoral foi estabelecida uma classificação em graus, sendo esta a seguinte:
Normal HD -
Suspeito HD + -
Displasia leve HD +
Displasia média HD + +
Displasia grave HD + + +
Este sistema foi elaborado pela FCI (Federeação Cinológica Internacional), método adotado hoje no Brasil. É importante ressaltar que esta classificação é Baseada em achados radiológicos, onde a radiografia é feita a partir dos 12 meses de idade, sendo o ideal aos 18 meses.
Animais para cruzamentos devem ser normais ou, no máximo, um deles apresentar displasia leve. Esta seleção é de fundamental importância no sentido de se impedir a transmissão desta característica aos descendentes.
Cabe aos futuros criadores adquirirem cães, filhos de pais normais, ficando portanto, aos criadores já experientes, o maior interesse em controlar a Displasia Coxo-femoral, já que ela é fator limitante no desempenho diário do cão, principalmente o Fila Brasileiro, utilizado para guarda nos grandes centros urbanos e mesmo em fazendas em todo o Brasil.
Fazemos o controle de Displasia Coxo-Femoral em nossa criação.
Textos extraidos da homepage da UNIFILA <http://www.unifila.hpg.ig.com.br/index.htm>